You are currently browsing the category archive for the ‘Rabiscos Teológico’ category.

1306380811753_f

Às vezes temos a ideia errada que já nascemos destinados a sofrer, mas hoje desejo falar o contrário. O sofrimento não tem a palavra final em nossa vida. A vida é muito mais do que um acúmulo de dores e sofrimentos. Se você parar para pensar, temos mais motivos para ser feliz do que para sermos triste, até mesmo nos momentos em que passamos por grandes angústias. Refiro-me a alegria de estar na companhia e na presença de Deus.

Sentir Deus no dia a dia, ter intimidade com Ele, gera em nós uma paz que foge do raciocínio lógico. Não tem como negarmos o sobrenatural desse fato. Não há milagre maior do que este: ser sustentado dia após dia pelo amor e misericórdia de Deus. Quando tudo ao seu redor mostrar que não tem mais jeito, que algumas situações são casos perdidos e o desespero bate em sua porta, vem Deus com seus braços fortes para te sustentar em meio ao caos.

Essa paz interior será alcançada quando realmente entregamos de coração aberto toda nossa vida a Deus e permitimos que Ele cumpra em nós a sua vontade, pois a vontade Dele sempre será em nós o caminho que nos levará a uma vida mais feliz e plena. Quando compreendemos que felicidade na vida não é viver uma sucessão de vitórias e realizações pessoais e sim compreendermos que felicidade na vida é vivermos satisfeito em simplesmente se sentir amado por Deus, aí sim, poderemos viver a vida em abundância prometida por Jesus. Só assim estaremos realmente bebendo da água viva que Ele prometeu a mulher samaritana quando disse assim: “mas quem beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede. Pelo contrário, a água que eu lhe der se tornará nele uma fonte de água a jorrar para a vida eterna”. (João 4:14)

Não quero em hipótese nenhuma incentivar ninguém a ter uma vida infantil e totalmente dependente de Deus em tudo na sua vida. Não concordo com pessoas que diante de coisas simples da vida ficam pedindo a Deus para mostrar qual a melhor direção a ser tomada. Sejamos sinceros, existem decisões que fazem parte do nosso cotidiano e que temos capacidade suficiente para analisarmos e fazermos a melhor escolha. Eu não preciso orar a Deus para que Ele me confirme que a viagem que farei para visitar um parente ou um amigo querido será da vontade Dele. Isto está obvio, não existe nenhum problema em realizarmos isso. Quando falo em ser sustentado dia após dia por Deus, me refiro a situações complexas que fogem do nosso controle. É quando temos que tomar uma decisão que através dela poderemos colher grandes conseqüências, sejam elas positivas ou negativas. Nesse caso, Deus quer mais é que dependemos Dele, pois Ele sabe que quando tomamos uma decisão orientada de acordo com a sua vontade, será sempre o melhor caminho a ser seguido. 

 

 
Anúncios

images

“É sequestro da subjetividade a redução da experiência religiosa ao horizonte histórico, dissociado de uma esperança que extrapole a experiência do tempo, assim como também é sequestro da subjetividade a experiência religiosa que esquece o cheiro humano da dor, da desesperança, e que se limita a promessas de um céu futuro, sem implicações históricas.”

Ao ler essa frase do Fábio de Melo pude perceber o desafio que nós temos em nossa espiritualidade. E esse desafio é o seguinte: 
Como ele mesmo falou, devemos ter o cuidado para não vivermos uma espiritualidade que pensa somente no céu, no paraíso, numa salvação somente para a vida após a morte, e ao mesmo tempo, não podemos racionalizar tanto a nossa espiritualidade ao ponto de acharmos que o cristianismo refere-se apenas a um evento histórico. 
Não podemos negar que existem fatos no cristianismo que vão além do nosso entendimento como: a Trindade Santa, a Ressurreição do corpo de Jesus, a gestação de uma criança a partir de uma jovem virgem, entre outros.
Enfim, não é fácil manter esse equilíbrio mas acredito que esse caminho está ao nosso alcance. Não tenha medo de ter dúvidas, de questionar, de investigar; faça isso! Isso faz bem para nossa mente porém não esqueça nunca que a causa do evangelho (o motivo principal) é o AMOR. 
O amor aos valores do reino de Deus
O amor ao próximo e si mesmo
O amor a Deus que apesar de todo caos que existe em nossa vida, tem estado presente nos pequenos detalhes como um Deus amoroso e bondoso que através de sua Graça tem nos dado acesso à uma vida livre de culpa, de dívidas… 
O amor a justiça divina que trabalha o tempo todo tentando sensibilizar corações de pedra para se fazerem parceiros Dele no resgate da cidadania das mais de 800 milhões de pessoas no mundo que dormem todos os dias com fome, sendo que desses 800 milhões, 300 milhões são crianças.
Tendo isto em mente, fique tranquilo, acho que você não conseguirá perder sua fé pois por mais que você deixe de acreditar em muitas coisas que antes você acreditava em relação ao cristianismo, seu coração estará tão preocupado em fazer o bem que ele automaticamente estará em sintonia com o coração de Deus.
“Todas as vezes que vocês fizeram essas coisas a algum marginalizado ou excluído, aquele era eu – estava ajudando a mim.”
Mateus 25. 40 (Bíblia A Mensagem).
%d blogueiros gostam disto: