carta-de-recomendacao

 

Prezada Igreja,

 
Meu coração tem sofrido bastante nos últimos dias de um mal chamado desesperança. E falo sem medo que a culpada desse mal tem sido você, igreja. Minha desesperança não é na vida, mas na igreja como instituição. É fato que o Brasil é um país extremamente religioso e que você tem tido muito espaço nele, porém entristeço-me ao perceber que você não está interessada em melhorá-lo. Sim, é verdade. Não tem como negar. Seu discurso, em sua grande maioria é cuidar exclusivamente do espiritual. O social, como você mesmo diz, é por conta do governo. Ainda não falei o pior sobre este ponto. O fato igreja,  é que quando você se envolve com assuntos extra-eclesiásticos, é apenas com o argumento raso de querer prezar pela moral e pelos bons costumes. Ou seja, um falso moralismo antigo que não suporta a ideia de conviver em uma sociedade que é livre para se viver toda sua diversidade. Você enxerga como problema no Brasil apenas assuntos que tem a ver com as pedras que apertam seus sapatos. 
 
Estou cansado de você! Já não suporto mais ligar a TV ou o rádio e ouvir seus pastores-vendedores vendendo milagres, curas e prosperidade. É um dízimo aqui, uma oferta ali e assim chegamos ao ponto de termos líderes religiosos nas listas dos mais ricos do mundo. Olho para trás e vejo o filho do carpinteiro que nunca acumulou dinheiro e sempre viveu de uma maneira ricamente plena e feliz. 
 
Ó igreja! Explique-me o motivo de você cobrar tanto de seus membros um nível de perfeição tão grande. Suas listas de proibições são enormes e insuportáveis. Você mesmo não a cumpre e quer fazer descê-la goela a baixo em todos. Você não acha que tem uma boa dose de incoerência nesse seu discurso sobre santidade? Ou será que o significado a santidade que você deu é diferente do Jesus? Você pode me responder?
 
Minha querida igreja, confesso que até hoje não entendi por que cargas d’água você ainda se acha a dona das chaves do céu? Sinceramente não sei de onde você tirou isso. Quem disse que suas palavras são a verdade absoluta? Quem disse que você tem a reta doutrina? Quem disse que a salvação é exclusividade sua? Acho que está na hora de você parar de achar que é o último biscoito do pacote de Deus.
 
Igreja, tive a oportunidade de perceber que algumas de suas denominações também se modernizaram. Vejo em você uma boa capacidade reflexiva para acompanhar o desenrolar da história. Você hoje deixou de crer em boa parte da Bíblia depois que passou a crer em Jesus como nosso Deus encarnado. Isso é bom. O que não é bom igreja, é você ficar apenas nesse discurso sobre os valores do Reino de Deus e não o colocar em prática. Não adianta nada você pregar sobre o amor ao próximo se você ainda é incapaz de dividir o que você tem com quem nada tem. Não vejo também em você uma vontade de transmitir para as pessoas lá fora as boas novas do evangelho.Você não sabe a quantidade de pessoas lá fora que precisam saber que elas não estão mais em dívida com Deus. Milhares de pessoas precisam saber que Deus não castiga e você aí calada, sem falar nada. Você infelizmente não está compartilhando a boa notícia. Acho que você se intelectualizou tanto, que às vezes fica com vergonha de falar de Deus. 
 
Enfim prezada igreja, me entristeço e me envergonho por você. Sei do grande potencial que você tem e me dói o coração ver você derramar suas pérolas aos porcos. 
 
Apesar de ter afirmado que estou sem esperança em ti, dentro de mim grita uma voz dizendo que ainda está em tempo de mudar essa situação. Ainda está em tempo igreja de você mobilizar seus membros do Oiapoque ao Chuí para protestar e exigir de nossos políticos uma saúde pública de qualidade, evitando assim as inúmeras mortes que acontecem diariamente nos corredores dos hospitais públicos de nossa pátria. Você acha que você também não é culpada por essas mortes? Lembra do que o Martin Luther King falou? “O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons”. 
 
Ainda está em tempo de você igreja, com toda força de mobilização que você tem em mãos, exigir do estado uma educação de qualidade para que o futuro dos nossos filhos e netos seja diferente do nosso, ou você acha que se preocupar com quem amamos não é de Deus? Se você acha que isso realmente é de Deus e não faz nada, então alguma peça está fora do lugar.
 
Enfim, essas questões levantadas representam apenas uma gota no oceano do que podemos mudar, porém se mudarmos pelo menos uma gota, já será alguma coisa.
 
Despeço-me com o texto bíblico de Isaías 1, 13-17 que cai como uma luva em cima do que falei.
 
Leia com atenção o que Deus fala diretamente para você:
 
“Chega de joguinhos religiosos!
Não suporto mais essa encenação:
Conferências mensais, reuniões e mais reuniões – não aguento ouvir falar em reunião!
São reuniões para isto, reuniões para aquilo. Chega de reuniões!
Vocês me cansaram!
Estou cansado de religião, de tanta religião,
enquanto vocês continuam pecando.
Quando fizerem a próxima oração coletiva,
eu vou olhar para o outro lado.
Não importa se oram alto, por muito tempo ou com frequência;
eu não vou dar ouvidos.
Sabem por quê? Porque vocês têm trucidado pessoas,
e suas mãos estão cheias de sangue.
Vão para casa e se lavem!
Limpem essa sujeira toda.
Esfreguem a vida até que saiam suas maldades,
para que eu não seja mais obrigado a olhar para elas.
Digam não para o mal.
Aprendam a fazer o bem.
Trabalhem pela justiça.
Ajudem os oprimidos e marginalizados.
Façam alguma coisa pelos sem-teto.
Levantem a voz em favor dos indefesos.”
Anúncios